Marque sua consulta

AV. ACAD. NILO FIGUEIREDO, 2303 | LAGOA SANTA - MG.  DE SEGUNDA A SEXTA DAS 8H ÀS 18H. SÁBADO DAS 8H ÀS 13H, EXCETO FERIADOS.

O nosso organismo têm a tendência de dar alguns sinais de alerta quando algo está errado. Muitas vezes, eles se apresentam como pequenos caroços, verrugas, pintas ou até mesmo manchas na pele.

É fundamental se atentar às causas e ao significado de cada sintoma, principalmente no caso das manchas. Características como formato, tamanho e cor podem indicar algum problema grave de saúde, como o câncer de pele.

Você sabe de que maneira elas se apresentam no corpo e o que elas querem sinalizar? Toda mancha é um alerta? Leia o texto abaixo e entenda mais o risco que elas oferecem para a saúde.

Quais são os principais tipos de manchas?

As manchas na pele podem ser de diversos tipos e ter diferentes causas. As mais comuns estão ligadas à exposição ao sol, envelhecimento da pele, fatores genéticos e, em alguns casos, à queimadura.

O primeiro caso é o mais recorrente. A exposição excessiva ao sol durante os anos acaba causando o envelhecimento da pele e, consequentemente, o surgimento de manchas. Elas aparecem nas áreas que ficam a maior parte do tempo expostas ao sol, como braços, mãos e, principalmente, o rosto.

Dentre os tipos que surgem devido à exposição solar, podemos citar as manchas escuras e acastanhadas, conhecidas como melasma. Bastante comum nas mulheres, elas surgem com maior frequência na maçã do rosto, nariz e testa. O uso de anticoncepcionais e a gravidez também são fatores que influenciam no surgimento dessa condição.

Outras manchas como sardas, queimaduras de limão e associadas ao envelhecimento também possuem relação com a exposição solar. Descubra agora quais são os melhores métodos de prevenção e como tratá-las.

Como prevenir o aparecimento de manchas?

O melhor método para a prevenção contra manchas na pele é a proteção solar. Mesmo que o dia esteja chuvoso ou com pouco sol, a incidência de raios solares ainda possui potencial para afetar negativamente a pele. É importante evitar a exposição em horários de maior incidência, principalmente entre 10h e 16h.

Pacientes que possuem a pele sensível, com sardas ou melasma devem, além de usar o protetor solar constantemente, tomar outras medidas preventivas. O uso de chapéus, bonés, óculos escuros e guarda-chuvas é altamente recomendado. Qualquer método que evite ou diminua a exposição solar deve ser considerado uma precaução contra as manchas.

É importante se atentar que o modelo de protetor solar utilizado deverá ser indicado de acordo com as condições da pele de cada um. Deve-se consultar com um dermatologista para que o acompanhamento do caso seja feito da maneira correta. O profissional também será responsável pelo tratamento das manchas. Por meio de uma análise minuciosa, é possível identificar as causas e o melhor método para tratá-las.

Manchas na pele podem ser um sinal de câncer!

O câncer de pele é um dos principais diagnósticos da doença no Brasil. A condição ocorre devido ao crescimento atípico das células que constituem a pele. Uma das suas principais causas é a exposição solar ao longo dos anos. O descuido com os métodos preventivos contra os raios solares acaba agredindo a estrutura da pele, levando ao câncer.

O principal sintoma do câncer de pele é o surgimento de uma mancha de aparência perolada, que pode sangrar e vazar algum líquido. Normalmente, ela se assemelha à uma ferida que não cicatriza. Outros sinais como enrugamento e mudanças de tonalidade na pele, mancha ou caroço avermelhado e que cresce de tamanho constantemente também podem surgir nos pacientes.

A melhor maneira de prevenir a doença é evitando a exposição solar desde cedo. Ao notar alguma mancha anormal na pele, deve-se procurar um médico imediatamente.

Gostou do conteúdo? Continue acompanhando nosso blog e as nossas redes sociais. Em caso de dúvidas, deixe o seu comentário.